ETA – Água de Chuva

Captação e uso de Água da Chuva


ETA – Água de Chuva Captação e uso de Água de Chuva, Estação de Tratamento de água de chuva para uso industrial, uso direto e indireto, reuso de água de chuva, descargas, lavagens, filtro para água de chuva, filtro para purificar água de chuva


ETA – Água de Chuva Conceito de Uso: O aproveitamento ou uso da água é o processo pelo qual a água, tratada ou não, é reutilizada para o mesmo ou outro fim. Essa utilização não poderá ser para fins potáveis.

Irrigação paisagística: parques, cemitérios, campos de golfe, faixas de domínio de auto-estradas, campus universitários, cinturões verdes, gramados residenciais.

Uso urbanos, industrial e comercial: refrigeração, alimentação de caldeiras, água de processamento, irrigação paisagística, combate ao fogo, descarga de vasos sanitários, sistemas de ar condicionado, lavagem de veículos, lavagem de ruas e pontos de ônibus, etc.

Por que captar e utilizar?

Apenas 3% da água existente no planeta é potável. Desse percentual, somente 0,7% está acessível. A maior parte da água utilizada vai para a agroindústria, aproximadamente 70%; 20% vão para as indústrias e 10%, para as casas. Desta forma a água da chuva deve ser considerada uma alternativa.

As águas de chuva são encaradas pela legislação brasileira hoje como esgoto, pois ela usualmente vai dos telhados, e dos pisos para as bocas de lobo aonde, como “solvente universal” vai carregando todo tipo de impurezas, dissolvidas, suspensas, ou simplesmente arrastadas mecanicamente.

Há casos em que a água de chuva pode ser separada das redes de esgoto, valendo para ISO 14000 em empresas e companhias de água e esgoto que se adéquam para essa segregação.

Esta utilização é especialmente indicada para o ambiente rural, chácaras, condomínios e indústrias.

Aproveitamento da água de chuva em condomínios.

Em condomínios, a água de chuva armazenada, significa economia no gasto de água nas áreas comuns. Ela pode ser utilizada para lavagem das calçadas, do playground, de carros, na irrigação dos canteiros e jardins, na reserva para casos de incêndio e até mesmo em banheiros das áreas comuns e lavanderia.

Como construir uma cisterna para armazenar a água da chuva e locais de utilização:

A cisterna capta a água da chuva por meio do telhado e de calhas. Esta água fica armazenada ao abrigo da luz e do calor e é bombeada para uma caixa d’água paralela à rede hidráulica normal, que pode abastecer o banheiro, a lavanderia, etc.

A água de chuva é captada pelo telhado, conduzida pelo sistema através da calha para filtragem e armazenada em cisternas ou caixas d’água.

Cada sistema é dimensionado de acordo com a área de captação e os índices de chuva da região onde será instalado:

Residências em construção: pode ser feito um sistema paralelo a água da rua e incluir o uso em descarga de banheiros, lavagem da roupa e torneiras externas.

Residências já construídas: onde não se quer ou não for possível mexer nas instalações existentes, é possível aproveitar a água da chuva para jardins, piscina, limpeza de calçadas, lavagem de carros, entre outros usos.

Indústrias, instalações comerciais, rurais e clubes: em áreas de grande porte, aproveitar a água da chuva é unir os benefícios ecológicos aos econômicos. A água pode ser usada para resfriar equipamentos e máquinas, em serviço de limpeza, para descarga de banheiros, no reservatório contra incêndio, irrigação de áreas verdes. Nos dias de chuva intensa, as cisternas podem funcionar como áreas de contenção, diminuindo ou até evitando alagamentos e sobrecarga da rede pluvial.

Normas e legislações em vigor:

Norma ABNT NBR 15527 de 2007 sobre aproveitamento de água de chuva em áreas urbanas para fins não potáveis. ( http://www.abnt.org.br/)

Resolução CNRH 54 (http://www.cnrh-srh.gov.br/delibera/resolucoes/R54–.pdf)

Portaria 2914/2011 da vigilância Sanitária que trás os VMP (Valores Máximos permitidos para diversos parâmetros) apenas para água de poço, e não água de chuva, sendo aconselhável análises de comparação de potabilidade para uso dessa água e para controle da empresa, em caso de fiscalização.